Confira aqui os grupos responsáveis pela organização 2014

Grupo de Lacinhos

  • Eva Blanshi - 9619-3986
  • Marlene e Lucimar - 3341-0024

Para confecção dos lacinhos é necessário encaminhamento do material: Fita de cetim face simples 10mm de largura cor rosa claro e alfinete Nº00

Perucas e Lenços

  • Tereza Yoko - 3344-2992 ou 9120-1242
  • Marialice Ferreira - 3324-3335
  • Silvana Machado Melo - 3329-1400 ou 9811-3182
  • Fatima Machado - 3351-5665

Grupo da Caminhada

  • Giselle Abreu - 3174-1323 ou 9813-7765 - TradeMKT SUPERMUFFATO
  • Clarissa Sanchez - 3375-0880 ou 9156-0005 - TOK DE AMOR
  • Silvana Machado Melo - 3329-1400 ou 9811-3182 - CLASSMED

Palestras

  • Elaine Carmelo - 3379-2608 ou 9106-9442
  • Tatiana Brum Mendes - 3379-2634
  • Manoela Germinari - 3379-2717

Site

  • Alberto Mariano - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
  • Priscila de Almeida - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Missa Rosa

  • Equipe - "Nós do Poder Rosa" - Em breve será inserido o contato

Culto Rosa e Concha Acústica

  • Genice Silva Lopes - 9152-4041
  • Beth Corretora - 9122-0661
  • Suely SINCIL - 3326-3470 ou 8406-8035

Carreata Rosa

  • Corpo de Bombeiros de Londrina
  • Viação Gracia

Mídia (Tv e Rádio)

  • Nobre Propagandas - 3327-6006

Para a iluminação normal, basta usar a técnica de sobrepor sem precisar trocar as lâmpadas ou instalação elétrica.
Colocar a tela rosa com a "gelatina cenográfica" marca Rosco, Modelo Ecolor 128.
Basta apenas providenciar apenas a substituição das lâmpadas queimadas (se houver).
As telas com a "gelatina cenográfica rosa" serão instaladas conforme as fotos abaixo:

ComoFazer 1
- Refletor existente no local:

ComoFazer 2
- Tela Rosa a ser colocada no refletor:

ComoFazer 3
- Refletor já com a tela colocada:

f029
- Resultado do refletor com a tela rosa:

 

fonte.: http://www.outubrorosa.org.br

Os portadores de qualquer tipo de câncer gozam de uma série de benefícios assegurados por lei, como saque integral do FGTS, auxílio-doença e isenção de IPVA, entre outros. Conheça-os
É fundamental conhecer os direitos do paciente com câncer porque eles podem amenizar algumas dificuldades, principalmente do ponto de vista financeiro, já que diversos cuidados essenciais ao longo do tratamento representam uma elevação dos gastos mensais e, consequentemente, uma redução do orçamento familiar.
A seguir, uma lista com a descrição dos principais direitos do cidadão com câncer.
DIREITOS DO PACIENTE
Amparo Assistencial ao Idoso e ao Deficiente (LOAS – Lei Orgânica de Assistência Social):
Renda Mensal Vitalícia/Amparo Assistencial ao Deficiente/LOAS – Lei Orgânica de Assistência Social (Lei 8.742/93). É o benefício que garante um salário-mínimo mensal ao portador de câncer com deficiência física, incapacitado para o trabalho, ou ao idoso com idade mínima de 67 anos que não exerça atividade remunerada. É preciso comprovar a impossibilidade de garantir seu sustento e que sua família também não tem essa condição, bem como que o deficiente físico não está vinculado a nenhum regime de previdência social. É necessário, ainda, fazer um cálculo para verificar se a pessoa se caracteriza como beneficiário desse amparo assistencial. Quando a renda mensal familiar (de todos os familiares residentes no mesmo endereço), dividida pelo número de familiares, for inferior a um quarto (25%) do salário-mínimo, o benefício pode ser pleiteado.
Aposentadoria por invalidez:
De acordo com a Previdência Social, possui direito ao benefício o segurado que for considerado incapaz de trabalhar e não esteja sujeito à reabilitação para o exercício de atividade que lhe garanta o sustento, independentemente de estar recebendo ou não o auxílio-doença. Além de outros casos, o portador de câncer terá direito ao benefício, independentemente do pagamento de 12 contribuições, desde que tenha a qualidade de segurado, isto é, que seja inscrito no Regime Geral de Previdência Social (INSS). Não tem direito à aposentadoria por invalidez quem, ao se filiar à Previdência Social, já tiver doença ou lesão que geraria o benefício, a não ser quando a incapacidade resultar no agravamento da enfermidade.
Auxílio-doença:
Têm direito ao benefício mensal os pacientes inscritos no Regime Geral de Previdência Social (INSS), quando ficam temporariamente incapazes para o trabalho, condição que deve ser comprovada por exames realizados pela perícia médica do INSS. O portador de câncer tem direito ao auxílio-doença, desde que fique impossibilitado de trabalhar para seu sustento. No caso do contribuinte individual (empresário, profissionais liberais, trabalhadores por conta própria, entre outros), a Previdência paga todo o período da doença ou do acidente (desde que o trabalhador tenha requerido o benefício).
FGTS:
Os pacientes com câncer podem sacar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. Na fase sintomática da doença, o trabalhador cadastrado no FGTS que tiver neoplasia maligna (câncer) ou que tenha dependente portador de câncer poderá fazer esse saque. O valor recebido será o saldo de todas as contas pertencentes ao trabalhador, inclusive a conta do atual contrato de trabalho. No caso de motivo de incapacidade relacionado ao câncer, persistindo os sintomas da doença, o saque na conta poderá ser efetuado enquanto houver saldo, sempre que forem apresentados os documentos necessários. O paciente pode aproveite para requerer a liberação do PIS/PASEP juntamente com a liberação do FGTS. São basicamente os mesmos documentos e a solicitação é feita na mesma unidade da Caixa Econômica Federal (CEF).
Isenção de imposto de renda na aposentadoria:
os portadores de câncer (neoplasia maligna) estão isentos do Imposto de Renda relativo aos rendimentos de aposentadoria, reforma e pensão, inclusive as complementações (RIR/1999, art. 39, XXXIII; IN/SRF 15, de 2001, art. 5º, XII). Mesmo os rendimentos de aposentadoria ou pensão recebidos acumuladamente não sofrem tributação, ficando isenta a pessoa acometida de câncer que recebeu os referidos rendimentos (Lei 7.713, de 1988, art. 6º, inciso XIV). A isenção do Imposto de Renda aplica-se nos proventos de aposentadoria ou reforma aos portadores de doenças graves, mesmo quando a doença tenha sido identificada após a aposentadoria.
Isenção de impostos como ICMS, IPI e IPVA na compra de veículos adaptados:
os pacientes com câncer são isentos destes impostos quando apresentarem deficiência física (nos membros superiores ou inferiores), que o impeça de dirigir veículos comuns. Também podem pedir baixa de isenção para o IPVA.
PIS:
Podem realizar saque do PIS, na Caixa Econômica Federal (CEF), o trabalhador cadastrado que tiver câncer ou pessoas cujo dependente seja portador da doença. O trabalhador receberá o saldo total de quotas e rendimentos.
Quitação do financiamento da casa própria:
pacientes com invalidez total e permanente por conta do câncer possuem direito à quitação, desde que estejam inaptos para o trabalho e que a doença tenha sido adquirida após a assinatura do contrato de compra do imóvel. Ao pagar as parcelas do imóvel financiado pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), o proprietário também paga um seguro que lhe garante a quitação do imóvel em caso de invalidez ou morte. Em caso de invalidez, o seguro quita o valor correspondente ao que o interessado se comprometeu a pagar por meio do financiamento. A instituição financeira que efetuou o financiamento do imóvel deverá encaminhar os documentos necessários à seguradora responsável pelo seguro. Trata-se de um seguro obrigatório pago juntamente com as parcelas de quitação, na aquisição da casa própria por meio de financiamento vinculado ao SFH, objetivando amenizar ou liquidar o saldo devedor do imóvel financiado nos casos de aposentadoria por invalidez ou morte do mutuário. A quitação do imóvel ocorrerá quando da morte do mutuário ou da aposentadoria por invalidez permanente, decorrentes de qualquer diagnóstico (inclusive câncer), sendo que o início da doença deverá ser posterior à assinatura do contrato para o financiamento.
Transporte coletivo gratuito:
Alguns municípios dão direito à passagem livre nos transportes coletivos.
Para maiores informações acesse o site do: INCA.
Você pode também conhecer mais sobre os direitos do paciente no Hospital do Câncer de Londrina.

Para aderir ao Movimento Outubro Rosa, basta promover ações que marquem Outubro como o mês da luta contra o câncer de mama. Use a criatividade e envolva sua cidade, sua empresa, a família e os amigos. Qualquer ação é bem vinda, mas deve ser acompanhada da informação sobre a importância da detecção precoce do câncer de mama.

Atividades desenvolvidas pelo MOR-Movimento Outubro Rosa, em Londrina a partir de 2009
• Caminhadas Rosa
• Missas de Conscientização na região central e nos bairros
• Cultos com Conscientização
• Palestras em empresas, clubes de serviço, igrejas, etc
• Oficinas usando o Chaveiro da Vida para formação de multiplicadoras
• Entrevistas com profissionais da saúde e depoimentosdas vitoriosas em Rádio, TV e imprensa escrita
• Realização de Oficinas explicando a importância e como se realiza o auto-exame, através da mama cobaia, ou mama amiga, pelos profissionais da área de saúde das universidades e centros profissionalizantes
• Realização de exames clínicos por profissionais da área de saúde das Universidades utilizando a ambulância da UNIMED
• Conscientização através de panfletos em feiras livres
• Palestras em UBS – Unidades Básicas de Saúde
• Iluminação de Pontos estratégicos da Cidade
• Distribuição do Laço Rosa que é o símbolo da luta contra o Câncer de Mama
• Utilização de Banner mostrando ao usuário do SUS, o caminho que a mulher deve percorrer para realizar a mamografia e demais exames da mama
• Mutirão, organizado pelo Hospital do Câncer de Londrina, para realização de exame clínico e encaminhamento para a mamografia, utilizando o ônibus Rosa em Londrina e Região
• Gravação de CD com palestras realizadas por mastologistas
• Gravação de CD para informar as mulheres, usuárias do SUS, sobre o caminho completo que devem percorrer para realizar a mamografia , organizado pelas UBS e 17ª Regional de Saúde.
• Avaliação das atividades realizadas pelo MOR junto com autoridades Municipais, Estaduais, Hospital do Câncer de Londrina, profissionais da Saúde e voluntários participantes do MOR e Redação da Carta de Intenção para as atividades futuras.
• Avaliação do MOR, através de questionário enviado aos participantes do MOR, pelo grupo de pesquisa clínica do Hospital do Câncer de Londrina.

O Movimento Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos onde algumas ações isoladas eram realizadas para incentivar a realização da mamografia. Posteriormente, o Congresso Americano aprovou uma lei instituindo outubro como o mês nacional de prevenção do câncer de mama. Mas foi a Fundação Susan G. Komen for the Cureque lançou o laçorosa, o qual foi usado pelos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizadaem Nova York em 1990.
Depois destas iniciativas com grande repercussão nos Estados Unidos, o Outubro Rosa seguiu sensibilizando pessoas, autoridades, empresas e órgãos públicos em todo mundo, sempre enfatizando a importância do diagnóstico precoce. Além da distribuição de laços rosa, a iniciativa de iluminar prédios públicos e monumentos históricos também foi uma estratégia que ampliou a divulgação desta importante campanha de conscientização das mulheres.
No Brasil, a primeira manifestação pública do Outubro Rosa ocorreu em 2002 quando, um grupo de voluntárias conseguiu convencer as autoridades de São Paulo a iluminar o Obelisco do Ibirapuera, com o apoio de uma indústria européia de cosméticos.
Em Londrina, o Movimento Outubro Rosa teve início em 2009, iniciativa das Amigas do Peito, um pequeno grupo de mulheres com câncer de mama que teve o apoio de voluntárias e profissionais do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina. Além da entrega de laços cor de rosa, elas também usaram os veículos de comunicação como Emissoras de TV, Rádio e Jornais para promover a conscientização das mulheres.
Em 2011, o Movimento Outubro Rosa ganhou mais força ao se associar aos Nós do Poder Rosa, uma Ong que engloba 26 entidades de mulheres e visa combater a violência contra a mulher. Neste mesmo ano, outras parcerias com a UEL, Unifil, Unopar, UniNorte e Pitágoras; e também com médicos mastologistas, Igrejas Católicas e Evangélicas, Unimed, ACIL, Clubes de Serviço, Laboratórios de imagens e análises clínicas, Associação de propaganda e marketing, jornais de Londrina, Folha de Londrina e Folha Norte, Sindicato dos Corretores de Imóveis de Londrina, Sindicato do Vestuário de Londrina, Fetraccovest-Pr, Conaccovest e Sind Serv realizaram em parceria palestras nas indústrias do vestuário de Londrina e região, enquanto o Sintracom realizou palestras aos trabalhadores na Indústria da Construção Civil. Neste mesmo ano, chegaram para fortalecer o Outubro Rosa: Câmara Municipal, local onde foi realizada a abertura das atividades de Outubro Rosa e Hospital do Câncer, onde foi realizada o encerramento do Outubro Rosa. A Viação Garcia, também aderiu à causa e colocou dois ônibus rosa para percorrer as principais linhas da Garcia.
É nesta somatória de esforços que o Outubro Rosa tem ampliado as suas atividades em Londrina e região. A todos, os nossos agradecimentos.

Ultimos Comentários

facebook siga-nos  icon youtube

Copyright © 2014 para outubrorosa.hcl.org.br. Desenvolvido por hcl.org.br